sábado, 15 de janeiro de 2011

Fragmentos filosóficos delirantes XII*


"A primeira verdade é que o mundo é como parece, e entretanto não é. Não é tão sólido e real como nossa percepção foi levada a crer, mas também não é uma miragem. O mundo é uma ilusão, como tem sido dito; ele é real por um lado, e irreal por outro. Preste muita atenção nisso, pois isso deve ser compreendido, e não simplesmente aceito. Nós percebemos. Isto é um fato concreto. Mas o que percebemos não é um fato concreto, porque aprendemos o que perceber."

"É um dever do nagual procurar sempre maneiras melhores de explicar. O tempo muda todas as coisas, e cada novo nagual deve incorporar novas palavras, novas idéias, para descrever sua visão."

"O que acontece às pessoas cujo ponto de aglutinação perde a rigidez ? - Se não são guerreiros, pensam que estão perdendo a razão - disse ele sorrindo. - Exatamente como você pensou que estava ficando louco em certa ocasião. Quando são guerreiros, sabem que ficarão loucos, mas esperam pacientemente. Veja você, ser saudável e lúcido significa que o ponto de aglutinação é imóvel. Quando ele muda, o fato significa, literalmente, que a pessoa está perturbada."

"Dom Juan havia-me repetido que os guerreiros vivem com a morte ao lado, e do conhecimento de que a morte está com eles retiram a coragem para enfrentar qualquer coisa. Ele dissera que o pior que nos pode acontecer é termos que morrer, e já que esse de qualquer modo é nosso destino inalterável, somos livres; aqueles que perderam tudo, nada mais têm a temer."

*Carlos Castaneda

Nenhum comentário:

Postar um comentário