quarta-feira, 27 de junho de 2012

Por que a Arte de Amar surpreende?*

O fenômeno é o Amor- sinônimo de relação, logo energia - Movimento, Ação- Liberdade. Que tem como antônimo o Poder - Egocentrismo - Controle - Tensão - Escravidão.
Se amor é Movimento, é deste movimento que se faz e cria a Arte.
Que arte é esta que falo quando o assunto é o amor?

Falo das expressões no tempo e espaço e além do espaço e tempo. Falo da vastidão da alma para além do ego, que é eu aprendiz. Amor pode parecer complexo, mas é Vida.
Arte é movimento da alma, expressão amorosa, que no encontro promove o enamoramento, encantamento, identificação e espelhamento.

A arte faz vibrar a alma, que depois de se enamorar se transforma em paixão. A alma acende a lua,clareia a escuridão dos pantanais. Convida a fusão. As almas se entrelaçam e desejam os corpos incendiados.
A arte avança, rompe, fragmenta,corta. Gera paixão triste.

Na pósmodernidade, nosso tempo do agora, nosso hoje existencial a arte de amar mais separa, rompe, destroí o mito da família e do romantismo, pois há nas entre linhas a busca da autenticidade e honestidade, pois mais pareça que não.
A arte de amar surpreende nos seus estágios erótico, philia e ágape. A arte de amar é uma grande ponte entre a alma, o eu e o outro, sendo a amizade a sustentação fundamental.

A amizade compartilha,compreende, aceita as diferenças, não julga, comunga das luzes e das sombras, tece o existir em todas as dimensões.

Surpreende o amor, por que vai além do romantismo. É poético, imaginal, mítico, racional e irracional. Não foge da separação, da dor e do luto.

Quando o poder entra o amor sai. Amor é liberdade, escolha. Poder é escravidão. Por isto quando o ciúme entra o amor se refugia. A posse, o controle são ante amor, jogo de poder dos escravos. O homem livre liberta.

O homem livre escuta...compartilha sua individualudade sem perder sua identidade. É NÓS! No nós você e eu caminhamos lado a lado. Eu sou eu e você é você. Nos respeitamos na singularidade e nis damos as mãos.

Ah! Quem idealiza o amor vive no desamor. Somos imperfeitos. O amor está para além da perfeição. Por ser pleno acolhe a luz,consciência e a sombra, a alma.

Ilusão achar que amor é paraíso. Por ser vastidão, multiplicidade, racional e irracional, moral e imoral é isto e aquilo.
Por que é tão difícil amar? Por buscarmos a perfeição e desconhecermos o caminho escura da alma. Por idelizar um mundo impossível e romântico. Por ter muita expectativa surgem tantas frustrações.

Por isto, pensar com o coraçāo e alma se pensa bem e vive e ama melhor. Amar é possível para quem trilha o caminho do filosofar.

Só para terminar. Hoje me permito pensar por mim mesma. Penso que a filosofia é a mais sofisticada auto ajuda. Considero um intelectualismo besta negar a autoajuda filosôfica como caminho de reflexäo.

Na realidade, nós mortais buscamos o tempo todo nos autoajudar para dar conta de viver esta vida tāo trágica. Negar que desejamos nos autoajudar é mentir. Assim pemsando escrevi "A surpreendente arte de amar" para promover uma reflexão, instigar a pensar bem no exercício de fazer a alma.

*Rosângela Rossi
Psicoterapeuta, escritora, filósofa clínica
Juiz de Fora/MG

Nenhum comentário:

Postar um comentário