domingo, 22 de julho de 2012

Todo dia, é dia Santo*

Amar nunca é demais. Expressar o sentimento sempre que possível, não expõe ninguém a risco algum.

Fazer amor para expressar o que sente pela pessoa amada, é opção de cada um. Fazer isto todo dia, também é.

Você tem alguém disponível todos os dias? O nível de desejo de vocês dois, corresponde em numero, gênero e grau? Então qual é o problema.

Você nem ama tanto assim, mas tem alguém legal, com uma química incontestável que está com você todos os dias e tudo possibilita que vocês transem sempre, de manhã, a noite antes de dormir, no final de semana umas seis vezes. Isto é um problema?

Não existe problemas nem riscos à saúde por fazer amor todos os dias e na hora que der. Nenhuma vagina vai se dilacerar e nenhum pênis, jamais vai ficar machucado ou coisa desse tipo. Ninguém vai ter estafa, nenhum coração vai parar, muito pelo contrário.

O grande problema da frenquência nas relações sexuais, está em o casal não estar ajustado de uma forma ou de outra. O grande problema é a freqüência ser obrigatória.

Ou um dos dois não quer e se sente obrigado a ceder, ou alguém não está se sentindo muito bem e para agradar, força uma barra e vai mesmo assim. Ou o ambiente não é propício e um dos dois se sente constrangido.

Quando o amor acontece naturalmente e espontaneamente, o desejo é inevitável. Mas algumas pessoas, mesmo que desejando o parceiro, nega a entrega ao sexo, por alguns conceitos que não são verdadeiros.

Negam também por pirraça, por vingança, por acreditar que bancando o difícil vai apimentar mais a relação, negam porque é dia do Santo Casto, porque a mãe falou que fazer demais faz mal, porque Deus ta vendo e assim é pecado.

A negação, também quando não é por um motivo justo, quando um dos dois não está doente ou muito triste, pode gerar conflitos às vezes irremediáveis. A parte negada, não compreende e se revolta. Se sente condenada a viver sem o que lhe é de direito (não pelo direito legal, mas pelo direito de gozar a vida, de ser feliz), já que aparentemente está tudo bem entre o casal.

- O que está acontecendo? Por que você não está me querendo?

E a não ser que a resposta seja sincera: Não me sinto bem, tenho dores, estou triste, porque ficar triste é direito de todo mundo e ficar doente também, se não for assim e se não for verdade, fica muito difícil o parceiro entender a negativa.

Quando é sincera, a negativa é acolhida, o companheiro é solidário, não existe cobrança e nem incompreensões. Não existe insulto e não gera mágoa.

Quando é falsa, articulada, maldosa, preguiçosa, displicente, relaxada, descuidada, traidora, a negativa vem como facas a cortar o peito de quem ama e é rejeitado. A pessoa sabe que está sendo rejeitada, é diferente. É evidente.

Bom, mas se você não tem nenhum motivo verdadeiro para desprezar a oportunidade de se ver sempre que puder, nos braços da pessoa que ama, manifestando seu sentimento, não perca tempo, não deixe sua imaginação viajar por caminhos sem sentido, não brinque com o que alimentará de verdade a felicidade de vocês, por muitos e muitos anos, até que envelheçam e ainda assim, quando mais velhos que se vejam, sempre que puderem, um nos braços do outro, usufruindo da energia divina do amor dos homens, para continuarem vivos e dispostos.

Não tem medida, cada um cria a sua.

*Jussara Hadadd
Terapeuta sexual, Filósofa clínica
Juiz de Fora/MG

Nenhum comentário:

Postar um comentário