domingo, 2 de setembro de 2012

Fragmentos filosóficos delirantes XCXX*


"(..) enquanto ele olhava de frente e intensamente um determinado objeto, ela parecia ter o hábito de considerar tudo segundo diferentes pontos de vista"

"(...) estarei condenado para sempre a sentir o que não consigo expressar"

"A vida cotidiana numa casa em que há jovens e velhos é cheia de curiosas cerimônias e pequenas devoções"

"Ser é mais do que fazer"

"Davam vazão a algum espírito que não encontrava lugar na vida real"

"(...) habituara-se a escutá-los como a gente escuta crianças, sem pensar nela mesma"

"É a vida que importa, nada além da vida, o processo da descoberta, o perene, perpétuo processo, não a descoberta em si absolutamente"

"Quero outra ilusão para poder continuar"

"(...) enfrentava a vida fortificada pelas palavras dos poetas"

"(..) a natureza humana ultrapassa, na sua beleza, tudo o que os mais loucos sonhos podem oferecer como sugestões, alusões"

*Virginia Woolf

Nenhum comentário:

Postar um comentário