quarta-feira, 27 de agosto de 2014

O sexo começa muito antes da cama*


Antes há de acontecer delicadezas dentro dos olhares

Antes há de entrelaçarem-se corações, almas afins em muitos sins para um caminho aonde a alegria seja o fim de um desejo compartilhado, esperado, sonhado, enfim.

Antes há de acontecer delicadezas dentro dos olhares que vislumbram com clareza e comunicam com certeza, antes, ainda na mesa, que a hora da beleza vem chegando, trazendo de mansinho por meio de elogios sinceros e, ao mesmo tempo, temperados com o ensejo acobertado que apetece os sentidos em busca de momentos, suprimentos, alimentos, alentos para os corpos sedentos.

Antes, haverão beijos em meio ao nada das bocas caladas que não justificarão e nem tão pouco se defenderão do amor que querem sentir com o doce nos lábios molhados do outro, tanto amado, desbravado, despido de todo medo.

Antes, haverá respeito e gosto sincero por um jeito que mesmo parecendo ser defeito, desfeito será, inexplicavelmente, aos olhos do mundo que julga e compõe pares óbvios demais, dessalgados demais, conformados demais, muito longe da riqueza da diversidade que propõe enorme e constante novidade no amor vivido por casais ímpares.

Antes, será necessário arregaçar as mangas, combater a preguiça e o depositar mesquinho da felicidade própria nas mãos do seu amor, que como você, também luta, também busca, também deseja receber. Haverá o cuidado consigo, com o próprio corpo e a própria vida com a intenção de encantar o outro, ainda que com simplicidade e limitações e na medida que antecede o sacrifício penoso de deixar de ser.

Será preciso a dose certa e exata de atenção ao anseio do outro antes do egoísmo, antes da presunção, antes da praticidade da vida cotidiana como prova clara do quanto é importante viver sincronicamente instantes de prazeres que pouco a pouco cristalizam gotinhas de uma intenção verdadeira em permanecer, solidificados e em união até onde existir um comprometimento em se fazerem felizes.

Será essencial, antes de tudo, fique muito claro, ser prazer mútuo inteiro e integral, muito antes que uma necessidade vã de se satisfazer.

Assim, dessas premissas irrelevantes aos céticos quanto à felicidade advinda do amor, mas com validade aos que não vivem sem ele, podemos entender que carinho, admiração, respeito, beleza, desejo sincero e alegria de viver, são componentes essenciais para que um casal chegue à cama e desfrute de um sexo sem amarras nem falsidades, sem anulação e com entrega despojada de qualquer má intenção.

*Jussara Hadadd
Terapeuta Sexual, Filósofa Clínica
Juiz de Fora/MG

Nenhum comentário:

Postar um comentário