segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Agendamentos*


As vezes penso que sou feita de ar, mar e poesia. Estranha sensação de não pertencer ao mundo dos seres humanos.

Ora me sinto água, ora me sinto chão, e, de repente, viro multidão!

São tantas as personas da minha alma que não consigo quantificar. Olho discretamente minha sombra na parede. Enxergo uma figura com forma de "ser" refletida e me encanto!

Quanto mais profundo for o sentimento de busca mais e mais eu me encontro. Um encontro meio tímido, um pouco silencioso... Apenas um encontro!

E pensar que por vezes me senti tão distante de tudo isso que estou sendo e fazendo a cada amanhecer!!!

É, viver sempre tem um porquê.

No desespero da música que a vida apresenta em cada hora, da noite ou do dia, eu reencontro o sentido de tantas palavras mal proferidas. Quantas noites insones, perdidas! Quantos dias de choro e de luta para se manter de pé diante da hipocrisia que muitas vezes se apresenta nua e crua na estrada da nossa vida, cidade, lugar coração!

E resolvo novamente acreditar no perdão!!! Sim! Uma trégua! Alívio na alma. Dor resolvida.
Sinto-me mais forte hoje. Sinto-me mais feliz e firme. Sinto-me totalmente liberta das amarras da culpa. Sim! Culpa! Muita culpa cultivada por ter sido agendada toda uma vida ou quem sabe vidas. Agendamentos desnecessários, tristes, nada salutar.

Que os demônios descansem em paz pois eu não aceito, por agora, me culpar nunca mais!
Aí, lembro que sou feita de luz, amor, ilusão! Quanta decepção!

Se o vento soprar para o sul caminharei devagar e saberei encontrar meu norte sem precisar mais de uma bússola. Já tenho as coordenadas do caminho dentro de um mapa que guardo no coração.

Está tudo indo bem... O rumo tomado foi o mais adequado. Tudo tem remédio. Tudo tem conserto.
A esperança volta galopante para perto, bem perto da minha alma. A luz da fé voltou. Clareou!!!

*Vanessa Ribeiro
Filósofa, Atriz, Dançarina, Filósofa Clínica
Petrópolis/RJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário