quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Ânimos de Alecrim*


Loucura fascinada
De flores nos cabelos
Loucura ensandecida
Com rodelas de abobrinha no nariz
Corpo de falsete
Ânimo de alecrim.
Loucura viajora,
Perséfone se vai
Mas dos infernos ainda retorna.
Louca mansa enluarada
Véu e estrela em noite quente
Janelas abertas, convites feitos.
É pisar na lama sabendo que vai afundar
É se jogar para um voo que não acontece
É se dizer matrona ao ser presa
É saber presente o que ninguém vê
Se sentir rainha quando é só mulher
Velhos fardos, tortos fracos.

*Vania Dantas
Filósofa Clínica
Brasília/DF

Nenhum comentário:

Postar um comentário