sábado, 4 de outubro de 2014

Palcos e tramas da vida*


Viver talvez seja esta linda descoberta, de darmos significado ao momento presente, representando com nossas alegorias o que alma não sabe dizer o nome.

Caminhamos pela vida representando papéis, elaborando roteiros, despedindo personagens e contratando novos atores. Nos perdemos em tramas, e buscamos sempre um final feliz para a novela que criamos para nós mesmos.

Buscamos aplausos para os papéis que desempenhamos e choramos quando é preciso deixar o rascunho de um projeto inacabado e viver a obra original na qual estamos inscritos.

Talvez a vida seja mais bonita quando a alma faz dos sonhos uma aquarela de possibilidades e onde representamos não o ator coadjuvante, mas o personagem principal no palco da vida.

*Pe Flávio Sobreiro
Poeta, Estudante de Filosofia Clínica
Minas Gerais

Nenhum comentário:

Postar um comentário