sábado, 8 de novembro de 2014

Buscas*


Ainda escreverei meu livrinho.

Acreditem. Vou ainda escrever meu livro. Ou meu livrinho. Me darei por satisfeito se uma pessoa só o ler. Ou eu mesmo o lerei para mim. Tempos depois. Ou poderá ficar guardado. Para algum momento incerto.

Estive pensando no título. Acho que será assim ó: "Espelho Estilhaçado". Quebrado. Partido. Pedacinhos recolhidos. Da vida. Cacos colhidos e ajuntados. Da vida. Pelos cantinhos do viver. Da vida aos pedacinhos.

Fascina-me remontar pedacinhos de vida. Parece-me que a vida não é um bloco só. Único. Seguro. Fechado. A vida não se espelha num espelho sempre inteiro. Surpreende-nos partindo-se em pedacinhos. Passamos grande parte da vida tentando colar nossas partes que se estilhaçam de nós mesmos. E é bom que seja assim. Mais ou menos inteiros, ou em pedacinhos ...

Assim me desmonto e remonto dia após dia. Nunca me sentindo por inteiro. Nem, tampouco, pequeno demais. Ofereço-me ao mundo e aos outros em forma de pedacinhos. E que é o melhor de mim. E o melhor que posso oferecer....

*José Mayer
Filósofo, Livreiro, Estudante na Casa da Filosofia Clínica
Porto Alegre/RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário