domingo, 2 de novembro de 2014

Libertação*


Para mim, libertação não está na renúncia. Sinto o abraço da liberdade em milhares de enlaces do deleite.

Você sempre me serve a dose fresca do Teu vinho encorpado e aromático, enchendo esta taça terrena até a borda.

Com Sua chama, meu mundo acenderá centenas de velas diferentes e as depositará no altar de Seu templo.

Não, jamais fecharei as portas dos meus sentidos – os deleites da visão, do tato e da audição revelarão Seu deleite.

Sim, minhas ilusões arderão no regozijo iluminado e a maturidade de meus desejos dará os frutos do amor.

*Rabindranath Tagore

Nenhum comentário:

Postar um comentário