domingo, 14 de dezembro de 2014

Eu Vim*


De lá pra cá eu vim
Caminhante, errante, pedante.
Cansado cheguei, mas não deixei
De lutar e correr e espreitar e esperar
De lá pra cá vi de tudo:
Caminho, erro, pedantismo,
Luta, correria, espreita, espera;
Outrora, fosse eu mais sábio,
Não teria feito o caminho.
Mas de lá pra cá aprendi.
De lá pra cá busquei entender
Qual meu verdadeiro significado.
Como ainda não cheguei,
Continuo no caminho, errante, pedante, “lutante”, corrente, “espreitante”, “esperante”.
Assim como meus neologismos
Sou eu no neologismo da minha vida.
Não busco mais saber pra estou indo.
Se cá cheguei foi porque de lá eu vim.
E se tivesse pensado no caminho,
Chegaria aonde cheguei?
Ou estaria ainda no caminho?
Mas posso me outorgar o direito da chegada?
Se uma chegada é uma parada e eu continuo vindo de lá pra cá,
Será que ainda não cheguei?
Por que esse caminho não me leva a lugar algum?
Já estou em algum lugar?
Quando de lá vim, não fazia ideia
Que cá chegaria, muito menos
Que chegaria.
Ainda no caminho, não sei se um dia
Chegarei.

*Vinicius Fontes
Filósofo, Mestrando em Filosofia, Filósofo Clínico
Rio de Janeiro/RJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário