terça-feira, 1 de dezembro de 2015

O coração, um amor e uma taça de vinho*


Caro amigo...
Explique-me, caro amigo,
O amor, por acaso, muda de idéia
Brinca de construir num dia
E, no outro, brinca de destruir?
O amor morrendo faz barulho,
Mas, e o barulho do amor vivendo?
-"Que solicitas, tu, amado,
Como dote para ser feliz?"
-"Teu canto e tua dança,
E o teu coração sempre alegre...."
-"E tu, amada, que solicitas
Como dote para ser feliz?"
-"Uma taça de vinho,
E o teu coração sempre alegre..."

*José Mayer
Filósofo. Livreiro. Poeta. Estudante na Casa da Filosofia Clínica
Porto Alegre/RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário