segunda-feira, 4 de abril de 2016

As folhas do outono no pátio do jardim*


Acontecia algo engraçado comigo
Toda vez que ela se alegrava
E me fazia sorrir
Eu sentia uma vontade
Enorme de explicar
O quanto eu a amava.
Não adianta atropelar as estações
Se apressar muito, machuca...
Primeiro amei a sua alma
E só bem depois
Apaixonei-me pelo seu corpo.
E na estação mais triste
Eu te prometo poesias
Me devolves cantos e danças
E se, acaso, eu te interpretar mal
Prometes te traduzir para mim
Pois és escrita em língua esquisita
E eu não consigo te ler...
As folhas do outono
Formaram um coração quebrado
No pátio do meu jardim...

*José Mayer
Filósofo. Livreiro. Poeta. Estudante na Casa da Filosofia Clínica
Porto Alegre/RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário