terça-feira, 18 de outubro de 2016

Errâncias*


Errante é o poeta
Pois anda por caminhos
Por ele mesmo desconhecidos
Tão somente abre trilhas
Tateando na sua penumbra
Cambaleia, cai, e rasteja
Levanta, e segue errando
Sem saber ao certo
Para onde vão seus passos.
Como poderia conduzir
Alguém por um caminho
Se o próprio, desconhece
Então escreve o seu caminho
Para tentar conduzir-se
Apenas por mais um passo
Somente por mais um dia....

*José Mayer
Filósofo. Livreiro. Poeta. Estudante na Casa da Filosofia Clínica
Porto Alegre/RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário