quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Fragmentos Filosóficos, Delirantes*


"Quando a mãe do poeta se perguntava onde o poeta fora concebido, apenas três possibilidades eram levadas em consideração: uma noite sobre um banco de praça, uma tarde no apartamento de um pai do poeta, ou uma manhã num lugar romântico dos arredores de Praga"

"(...) foi exatamente na primavera, quando os lilases estavam em flor, que ela foi levada para a maternidade; lá, após algumas horas de sofrimento, o jovem poeta deixou-se escorregar de sua carne sobre o lençol manchado do mundo" 

"Jaromil sabia muito bem (...) que a originalidade do seu universo interior não era resultado de um esforço laborioso mas sim que se exprimia através de tudo o que passava fortuita e maquinalmente pela sua cabeça; que lhe fora dada, como um dom"

"Desde então, acompanhou com muito mais atenção os seus próprios pensamentos e começou a admirá-los. (...) ocorreu-lhe a ideia de que, com a sua morte, o mundo onde vivia deixaria de existir"

"(...) o que há de mais belo nos sonhos, dizia ele, é o encontro improvável de seres e de coisas que não poderiam encontrar-se na vida real"

"(...) porque os versos de Jaromil pareciam-lhe ininteligíveis e pensou consigo mesma que havia nos seus versos mais do que seria capaz de compreender e que, consequentemente, era mãe de uma criança prodígio"

"E nada há mais belo que o momento que antecede à viagem, o instante em que o horizonte de amanhã vem visitar-nos e contar as suas promessas"

"Os mais belos momentos eram aqueles em que um sonho ainda durava, enquanto outro começava a nascer, e no qual ele despertava"

"As horas passadas diante do espelho faziam-no tocar o fundo do desespero: felizmente havia um espelho que o levava até as estrelas. Esse espelho sublime eram os seus versos"

"(...) encontrara uma sociedade de gente onde não era apenas o filho de sua mãe ou um aluno de sua classe, mas onde era ele mesmo. E pensou que alguém só é ele mesmo a partir do momento em que o é entre os outros"

*Milan Kundera in "A vida está em outro lugar". Ed. Círculo do livro. SP. 1973. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário