quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

O coração e a ciranda*


Audácia de pensamentos
És o turbilhão da tempestade em alto mar.
Vento sem direção certa
E troveja. E raios cortam os ares.
E Marte, o deus da guerra,
Vermelho em fogo de dragão.
Decifra-me ou te apaixono:
É o que me fazes.
E montas ciranda de emoções
Pulando em meu coração,
Quebrando o piso com o risco de dizer adeus.
Enxurrada descendo a serra,
Teu ser é maior do que eu imaginava
para o meu, que não é pouco.

*Vânia Dantas
Filósofa Clínica
Uberlândia/MG

Nenhum comentário:

Postar um comentário