domingo, 12 de março de 2017

Substratos da existência*


Somos somas de substratos da existência, pois há momentos de sermos frutos, noutros sementes. Também, somos reflexos de memórias que plantamos outrora e que ainda persistem latentes. Somos ausências, somos presenças.

Somos duração, somos intervalos e pausas. Somos muito de muitas coisas e um pouco de outras tantas. E as vezes, parte de nós, ora as melhores ora nem tanto, são forjadas grandemente através de brevidades que se eternizam porque nos marcam para sempre no agora.

Um pouco de nós é resultado de lágrimas que irrigaram os jardins da nossa alma. E outras porções de nós provém do retumbar de sorrisos que pareciam ecoar para sempre enquanto alguns caminham orgulhos e cheios de certezas vãs até descobrirem que ao final o que nos define mesmo nunca diz respeito a quantidade de erros nem de acertos, porque o que produz uma vida feliz e rica de paz é uma curiosa e instigante capacidade persistente de aprender, perdoar, nos superar e, sobretudo, nos fazer justos.

Afinal, somos muitos mistérios e uma consciência que toda vez que expande toca, comove demais e nos transforma. Musa!

*Prof. Dr. Pablo Mendes
Filósofo. Educador. Filósofo Clínico
Uberlândia/MG-Porto Alegre/RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário