terça-feira, 23 de maio de 2017

O abraço e a felicidade*










Pode ser, claro que sim
Você me leu confuso
Neste seu jeito de me ler.
Seus olhos nublados
Me viram no côncavo
Ou no convexo me viram.

E me leram invertido.

Pode ser, claro que sim
Este seu medo tremido
De um grande amor.
Pode ser este seu riso
Que me fez de casa
E feliz por um dia.
Pode ser este desespero
Caindo no copo vazio
De uma saudade.
Pode ser este seu cheiro
De fruta madura
Dos dias finais de outono.
Pode ser a pele infantil
De uma neblina suave
Pedindo um abraço.

*José Mayer
Filósofo. Livreiro. Estudante na Casa da Filosofia Clínica
Porto Alegre/RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário