sexta-feira, 28 de julho de 2017

Escrever para crianças*


Certa vez conversando com um escritor, Dr em Filosofia, ele me disse que tinha muita vontade de escrever para crianças, mas não tinha aptidão com a linguagem infantil. Desde esse dia passei a refletir sobre o que ele disse; seria realmente difícil escrever para crianças?

Passei então a pensar sobre a diferença entre a linguagem da criança e do adulto, e encontrei na criança um caminho fértil para a construção de ideias, de imaginações e de experiências a serem vividas. Hoje encontrei um menino de 5 anos brincando com dois bonecos, um do Batmam e outro era um monstro, então emocionada e realmente querendo saber perguntei o que os dois bonecos estavam fazendo, e o menino disse que eles estavam brigando; e eu interessada perguntei o motivo da briga.

O engraçado é que a minha emoção de entrar no imaginário daquela criança me fez entender que a linguagem de muitas crianças não apresentam prejuízos, nem muitos agendamentos existenciais, e tem um caminho sem muitas conclusões, elas navegam pelas emoções, pelas ideias, pelos sonhos, pelos desejos primários humanos e assim constrói-se a cada vivência, a cada descoberta.

Depois de mais de 20 anos como professora de crianças entre 03 anos à 70 anos de idade descubro a cada dia que escrever para crianças é se tornar uma, porém com a capacidade de ver longe o que a criança procura aqui bem perto.

*Sandra Sucupira
Filósofa. Educadora. Escritora. Filósofa Clínica
Teresina/PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário