sábado, 1 de julho de 2017

Fragmentos Filosóficos, Delirantes*


"Não acontece aos homens aquilo que eles merecem, mas sim o que se lhes assemelha"

"Agora tenho a convicção de que qualquer filosofia superior, na qual não continuem a  existir as realidades do plano que ela pretende ultrapassar, é uma impostura"

"As reviravoltas das abelhas, tão rápidas e incoerentes, parecem desenhar no espaço figuras matemáticas precisas e constituem uma linguagem"

"Uma imaginação poderosamente aplicada ao estudo da realidade descobre que é muito tênue a fronteira entre o maravilhoso e o positivo, ou, se preferem, entre o universo visível e o universo invisível"

"O que finalmente nos impressiona é a afirmação reiterada dos rosa-cruzes e dos alquimistas, segundo a qual o objetivo da ciência das transmutações é a transformação do próprio espírito. Não se trata nem de magia, nem de recompensa vinda do céu, mas de uma descoberta das realidades que obriga o espírito do observador a situar-se de outro modo"

"Acreditai-me, os grandes espíritos estão fora daquilo que se chama civilização (...) Vejo apenas que existem enormes inteligências anti-sociais"

"Pedis-me para resumir, em quatro minutos, quatro mil anos de filosofia e os esforços de toda a minha vida. Pedis-me além disso, para traduzir em linguagem clara conceitos para os quais a linguagem clara não é feita"

"A relatividade, o princípio da incerteza mostram-nos até que ponto o observador de hoje intervém nos fenômenos"

"Existem no mundo alguns exemplares do homem novo, vindos talvez de além das fronteiras do tempo e do espaço"

"Estamos em relação mágica com o Universo"

*Louis Pauwels e Jacques Bergier in "O despertar dos mágicos - Introdução ao realismo fantástico". Ed. Difel. SP. 1983.

Nenhum comentário:

Postar um comentário