quarta-feira, 26 de outubro de 2016

A cura pela fala*


"Sou uma microcirurgiã da mente. Médica, psiquiatra e psicanalista por formação, uso palavras e símbolos para explorar e modificar o panorama neural das mentes e cérebros de meus pacientes, da mesma maneira como o cirurgião maneja o bisturi para expor e extirpar estruturas comprometidas do corpo."

"(...) a chamada 'cura pela palavra', originalmente criada por Freud, altera literalmente a conexão dos neurônios cerebrais entre si. Essa reformulação neuronal propicia mudanças na sua maneira de produzir, integrar, vivenciar e compreender informações e emoções."

"Esse trabalho exige não apenas paciência, mas também persistência, para conseguir levá-lo a contento. Se formos muito duros, na tentativa de desfazer os nós rápido demais, corremos o risco de magoar o paciente, o equivalente psíquico de puxar-lhe os cabelos."

"Trabalhando com Alice em psicoterapia, tenho de visualizar o mapa em ziguezague de sua mente e explorar sua ilha da Terra do Nunca na sua companhia."

"Acompanhar as associações de um paciente durante uma sessão é como debruçar-se sobre sua paisagem neural, obtendo a configuração do terreno através da análise de ideias e imagens interligadas que vão formando o fio da meada."

"(...) provavelmente a psicoterapia modifica, de início, as conexões funcionais entre os neurônios, para depois converter essas transformações funcionais em mudanças na estrutura concreta do próprio córtex cerebral."

"Através da desvinculação e desconstrução dos padrões problemáticos de associações gravados nas interconexões dos neurônios de um paciente, posso ajudá-lo a modificar sua mente."

"(...) Um quarto mecanismo de mudança em psicoterapia provém do fato de que nossas vidas continuam enquanto estamos em tratamento, o que nos dá a chance de praticar muitas vezes aquilo que estamos aprendendo na psicoterapia em situações externas à sessão analítica."

*Susan C. Vaughan in "A cura pela fala". Ed. Objetiva. RJ. 1998.

Nenhum comentário:

Postar um comentário