quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Expressividades*


Versos e prosas exprimem a vida por caminhos de métricas e contornos incertos demais, forjados em palavras capazes de acompanhar as curvas do pulso e do impulso provocados pelo contato de corpos, de almas e de entes sublimes da natureza. E cada momento sentido é parcela da vida que é um milagre sempre agora convidando-nos a transcender através de um começo que reside na coragem de sentir, viver e mudar o que for preciso. Porventura, somos autênticos espelhos do modo como merecemos ser tratados, pois isso será sempre reflexo do modo como tratamos cada pessoa com a qual mantemos contato. Na nossa capacidade de permitir, tolerar, persistir e libertar habita a esperança e a concretude de que tudo dará certo bastando seguir em frente. E tudo fica melhor, certamente, quando conseguimos escolher diante da multidão, um rosto que na verdade é uma flor que toda vez que sorri, desabrocha fazendo um novo poema surgir no horizonte. E é esse sorriso dela que vai tornando cada dia mais bonito numa permanência que comprova que o amor é tudo e somente o que prevalece na eternidade do agora sem jamais perecer. Musa!

*Prof. Dr. Pablo Mendes
Filósofo, Filósofo Clínico, Professor Universitário
Porto Alegre/RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário