quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Ser*


Eu não sou, sou Eu, não ser o Ser é pesado,
Sou alguém, no meio do deserto humano,
Sou ninguém, em meio ao tempo: Todos.
Não, dois, um Ser em alguém, sou único.
Eu sou o que sou, alguém dentro do tempo,
Fora do lado de dentro, sou o que me misturo.
Eu sou a multidão, sou parte de um único,
Sou o Ser que mira o corpo, sou as partes,
O fragmento dentro de um só corpo.

*Luis Antônio Paim Gomes
Editor. Professor. Poeta. Livre Pensador.
Porto Alegre/RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário