domingo, 17 de janeiro de 2016

Poema sobre o que sei*



"Continuo impetuosamente absorto
Calado estou a me torturar
Nada para meu ser é absoluto
Ponho-me sempre a fragmentar
Confundo-me! Estou ou devo ficar ?
Minha alma possui um vazio
Cheio demais para tentar
Sou itinerante e meu amor é idílio
O que intensamente sei é amar!

*Dionéia Gaiardo
Administradora de Empresas. Poeta. Estudante na Casa da Filosofia Clínica.
Porto Alegre/RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário