quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Bruxa voa, não esqueçam*

 

Pouco a pouco se esvai
a energia de uma linda bruxa
que dia após dia põe temperos
de amor e dedicação em seu caldeirão.

Se esvaindo troca de temperos
põe agora tristeza e obrigação.

O lar que antes afagava
seus valores e sua doação
hoje é sinônimo de vulcão
que queima, machuca, não avisa.

Mudar de lugar é imprescindível
mas a bruxa está presa.
Eu só fico na espreita do dia
em que ela volte a voar...

*Dionéia Gaiardo
Filósofa Clínica da Casa da Filosofia Clínica
Porto Alegre/RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário