quinta-feira, 6 de abril de 2017

Como quem ouve uma sinfonia*


Um grande e verdadeiro amor pode ser sutil, encabulado, assustado e no fundo encantado.

Esconder um sentimento pode ser um ato de caridade, de compaixão e mesmo de verdadeiro amor. Não dizer eu te amo, mesmo diante de uma certeza inexorável, pode ser muito sábio. É possível que o ser amado não esteja passando pelo melhor momento em sua vida e que isto transmita a ele uma responsabilidade difícil de assumir no momento.

Muitas vezes ele te ama muito mais do que você ou ele possam imaginar, mas não consegue ou tem medo de expressar. Pode estar traumatizado, pode ter sido golpeado recentemente, pode estar sendo vitima de uma pessoa doente que o persegue.

Talvez ele não te ame mesmo, mas existem varias maneiras de sentir isso. E isto é um direito. Talvez ele ainda não tenha descoberto o que sente ou mesmo não queira admitir e é importante respeitar. Entender que existe o tempo de cada um, o tempo que se leva para aceitar que estamos amando alguém.

Às vezes, as pessoas tem muita ansiedade em declarar amor mais pelo medo de perder o outro, de o tempo passar e o outro não saber que é amado e buscar outra pessoa, do que propriamente pelo amor que sente. Às vezes nem se ama tanto assim ainda. Talvez não tenha tido tempo direito de conhecer o outro a ponto de amá-lo.
O fato de alguém não conseguir declarar amor por você, quando você quer, quando é importante para você, não quer dizer que ele não sinta. E pode ser que talvez ele te ame até mais que você a ele. Ele pode ser alguém equilibrado, com propósitos de vida bem determinados. Ele pode estar testando o seu equilíbrio e o seu amor por ele. Ele pode sentir vergonha de falar e a medida que vai se liberando, vai te mostrando amor, através dos gestos, das manifestações de carinho além do normal, da descontração.

Tenha paciência quando sentir que encontrou um bom amor. Não ponha os pés pelas mãos, não jogue fora uma oportunidade de ser feliz só porque não sentiu uma explosão de paixão novelesca logo de entrada.

Um grande e verdadeiro amor pode ser sutil, encabulado, assustado e no fundo encantado. Tente olhar além das evidências. Tente se valorizar e ter a certeza do quanto pode ser amado e entenda quando estiver sendo.

Não, não estou falando de ilusão, de fantasia. Estou falando de percepção de intuição e de sabedoria. Rompantes de paixão, manifestações expressivas demais, muitas vezes atendem a uma volúpia mais que a um sentimento sincero e capaz de fazer você feliz. Um amor forte, mas de expressões contidas, pode te trazer imensa alegria, mesmo que longe dos olhos do mundo.
Avalie.

*Jussara Hadadd
Filósofa Clínica. Psicoterapeuta especializada em sexualidade feminina.
Juiz de Fora/MG

Nenhum comentário:

Postar um comentário