terça-feira, 4 de abril de 2017

Fragmentos Filosóficos, Delirantes*


"Vivemos um intervalo e, então, nosso lugar não mais nos reconhece"

"O que há de melhor e mais maduro em nós há de responder, integralmente, àquilo que pretendermos enxergar"

"Tudo o que buscamos já está na nossa presença, e não distante de nós"

"(...) ensinou-nos que a essência da poesia é a invenção, no sentido de descoberta"

"Não somos a medida das coisas, mas os logrados pelas coisas. A Caverna é pessoal, uma toca fechada, isolada do mundo comum"

"Lembrando Bacon: 'E o entendimento humano é como um espelho falso, que, recebendo raios de modo irregular, distorce e descolore a natureza das coisas, que se misturam à própria natureza do espelho"

"Não temos palavra adequada para explicar Shakespeare: ele escapa a qualquer categorização disponível"

"Lemos, penso eu, para sanar a solidão, embora, na prática, quanto melhor lemos, mais solitários ficamos"

"Aos que pensam que tudo é linguagem resta apenas a linguagem"

*Harold Bloom in "Onde encontrar a sabedoria ?". Ed. Objetiva. RJ. 2009.

Nenhum comentário:

Postar um comentário