quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Num passe de mágica*


Amar nos ajuda a compreender palavras e silêncios; momentos e atitudes. E isso, nos convoca a perceber que por teimosia da precariedade da observação, às vezes, podemos dar passos dissonantes, mesmo estando dentro de caminhos repletos de boas consonantes, que surgiram tão somente para nos promover e libertar. E podemos sim, deixar passar ou abraçar oportunidades que nunca virão ao acaso nos convidando à transcendência ora lado a lado, ora a quatro mãos. Porventura, o mais sábio a fazer possa mesmo ser começar agora, de onde estivermos, na condição que estivermos, simplesmente fazendo o melhor que pudermos, sem desmerecer o cuidado com o nosso coração para que o amor e a paz nos faça transbordar e florescer em dias lindos. Na verdade, quando transcendemos pelo menos uma vez, instantaneamente, como num passe de mágica, percebemos que julgar o outro nunca o definirá, mas sempre servirá para revelar a verdadeira face do opressor. Enfim, um grande segredo para sermos felizes, condiz com o exercício de aprendermos a investir e nos importar mais com quem realmente se importa conosco. Musa!

*Pablo Mendes
Filósofo, Filósofo Clínico, Professor Universitário, Músico, Poeta.
Porto Alegre/RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário